Natália
Vale a Pena Ler de Novo é um meme literário hospedado pelo Ancalimë Family para resenhar antigos livros (leia-se: a primeira publicação foi há, pelo menos, 10 anos), tidos como clássicos ou não, que lemos recentemente e gostaríamos de compartilhar com os leitores.




Título: Razão e Sensibilidade
Autor(a): Jane Austen
País de Origem: Inglaterra
Título Original: Sense and Sensibility
Publicado originalmente em: 1811

Primeiro romance da consagrada escritora inglesa Jane Austen, Razão e Sensibilidade narra a história da família Dashwood: uma viúva e suas três filhas, Elinor, Marianne e Margaret. Elas passam a viver com uma renda bem menor em relação a que estavam acostumadas enquanto o pai era vivo. Embora o Sr. Dashwood tenha feito de tudo para deixá-las na situação mais confortável possível, sua herança era obrigatoriamente direito de seu filho mais velho, John, fruto de seu primeiro casamento.
Elinor, a mais velha, é inteligente e muito madura, sempre educada e discreta, por isso precisa ficar atenta ao comportamento de sua mãe e sua irmã do meio, Marianne, cujos temperamentos são facilmente alterados, para melhor e para o pior.
Mesmo pertencendo à classe média, elas não deixam de ter boas relações com a alta sociedade, ou pelo menos com boa parte dela. Pessoas como os Middletons e os Palmers, donos de grandes fortunas, ficam felizes em convidá-las para jantares, festas e até mesmo longas estadias em suas luxuosas mansões.
As personagens não são divididas entre mocinhos e vilões, não são construídas apenas de defeitos ou virtudes. Marianne, por exemplo, tem um bom coração, mas não faz esforços para ser educada ou mesmo gentil com aqueles que pensam diferente dela. Não se trata de uma história onde o amor vence tudo. Embora dêem mais valor aos sentimentos que às rendas, as Dashwood sabem que dinheiro significa conforto e privilégios como uma boa educação e acesso à cultura.
Elinor é apaixonada por Edward Ferrars, irmão de sua cunhada Fanny, esposa de John. A irmã e a mãe do rapaz, percebendo que o interesse é mútuo, não economizam indiretas sobre o quanto aquela união seria desfavorável, visto que ele era o primogênito de uma família rica, enquanto ela não tinha uma grande renda para chamar de sua.
Por outro lado, Marianne ganha o coração do Coronel Brandon, homem muito rico e ainda solteiro, apesar de ter mais de 35 anos (o que, na opinião da moça, o tornava velho demais para ela). Mas a chegada de um elegante cavalheiro, Sr. Willoughby, faz com que todos os outros homens se tornem insignificantes, e Marianne só tem olhos para ele.
Em meio a críticas, muitas vezes disfarçadas de ironias, aos valores da sociedade inglesa do século XIX e à conduta esperada de homens e mulheres, com uma narrativa simples e direta, Austen criou personagens completamente críveis vivendo em ambientes comuns fazendo coisas banais. E, mesmo com toda essa normalidade, sua obra excede as qualidades de qualquer outra. Não é à toa que dois séculos mais tarde, sua escrita ainda é estudada e admirada incansavelmente por leitores do mundo todo.
2 Responses
  1. Olá!

    Adorei este quadro, e se puder, usarei no meu com certeza! Já estou seguindo seu blog e já linkei no meu (referente à parceria).
    Quanto ao livro, Razão e Sensibilidade é... não há o que dizer sobre ele! É magnífico!

    Abraços e muito sucesso!


  2. Olá, querida!

    Gostei muito da resenha e por isso te coloquei entre as 10 melhores resenhas da semana no meu blog. Parabéns, querida! :D

    Abraços, sucesso e feliz 2011!


Postar um comentário