Natália
Essa resenha faz parte do Desafio Literário #1. Para acompanhar o meu progresso em todos os Desafios de 2011, clique aqui.





O Mundo de Vidro (Maurício Gomyde): Até onde pode ir a paixão de uma pessoa por outra? Como, quando e por que começa? Até que ponto pode-se cometer alguma loucura para fazer parte da vida de alguém? Quais as consequências da paixão avassaladora incompreendida? Nesse seu primeiro e hilariante romance, Maurício Gomyde retrata o cotidiano de um cidadão normal como tantos que se vê por aí em qualquer canto, tentando responder estas aparentemente simples perguntas. Passeando com extrema facilidade tanto pela liguagem refinada e sutil quanto pela tosca, Maurício Gomyde nos brinda com um livro de leitura fácil e extremamente agradável.
(sinopse: orelha do livro)



Ele é um cara absolutamente normal, com um emprego normal e uma vida normal. O tipo de pessoa para quem você não olharia duas vezes na rua.
Ela é uma mulher linda, inteligente, bem sucedida, alegre e independente.
Eles não tem absolutamente nada em comum.
Mas ele se apaixona perdidamente quando a vê no metrô.

As personagens principais não têm nomes, são apenas "ele" e "ela", e a história não se passa em nenhuma cidade específica. Porque "ele" ou "ela" podem ser qualquer pessoa, em qualquer lugar. É claro que eu não imagino encontrar alguém com um papagaio fêmea chamada Horácio (?) e com hábitos tão excêntricos, mas o que eu quero dizer é que não se trata de uma história de amor que te faz pensar "ah, mas isso é coisa que só acontece na ficção!", porque você com certeza conhece alguém como "ela", ou já viu alguém passar pela mesma situação que "ele" passa.
A linguagem do autor vai, literalmente, da refinada e sutil à tosca, o que só aumenta o lado cômico do livro. A sinopse diz se tratar de uma história que mostra as loucuras e desventuras que uma pessoa apaixonada passa para tentar conquistar seu amor. Mas, pra mim, o que mais marcou foi a mudança que ocorre nas pessoas que amam. É verdade que, na maior parte das vezes, a gente muda para agradar ao ser amado, o que nem sempre é saudável. Mas muitas vezes é uma mudança para melhor; seja nos hábitos, nas preferências e até no visual. É claro que um amor não correspondido pode nos levar a agir de modo que nos arrependeremos depois, mas eventualmente encontramos nosso caminho novamente.
É exatamente o que acontece em O Mundo de Vidro. Ele passa por altos e baixos, mas em determinado ponto percebe que tem que fazer o que é melhor para si mesmo, independentemente se ficará com ela ou não. Nós acompanhamos o crescimento da personagem, sempre mostrado da maneira mais hilária possível, caro! E tudo culmina em um final surpreendentemente inusitado, mais ou menos como aconteceria na vida real.


PS: esse livro (apesar de cômico) não é recomendado para pessoas de coração recentemente partido, pois pode conter partes extremamente emotivas e causar lágrimas constantes.

Autor: Maurício Gomyde
Editora: Porto 71 Editora
Nº de Páginas: 236
0 Responses

Postar um comentário