Natália
Essa resenha faz parte do Desafio Literário #3. Para acompanhar o meu progresso em todos os Desafios de 2011, clique aqui.

Dexter - A Mão Esquerda de Deus (Jeff Lindsay): DEXTER MORGAN é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum, que extermina apenas outros assassinos. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami... Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos... A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima.
(sinopse: quarta capa do livro)



Todo mundo sabe que adaptar um livro para a TV ou para o cinema não é tarefa fácil. Várias vezes, os produtores cometem pecados imperdoáveis e conseguem estragar uma história realmente muito boa. Ou então a adaptação fica tão boa que, quando lemos a versão literária, nos decepcionamos e, como sou fã do seriado Dexter, tinha medo que acontecesse exatamente isso.
Mas, felizmente, fiel é pouco para descrever o nível de semelhança entre livro e série. Ler os primeiros capítulos foi praticamente como assistir aos primeiros episódios novamente! É claro que eventuais mudanças, maiores ou menores, foram feitas, principalmente para que a versão televisiva durasse mais tempo (embora conte apenas com 12 episódios por temporada), e assim o final consegue inclusive ser surpreendente, mesmo para quem já conhece a história.


A narrativa é uma delícia. Os devaneios do protagonista, seus 'diálogos' consigo mesmo e seu humor negro conquistam qualquer um, e até o mais decente dos leitores acaba torcendo por ele. Impossível ficar imune ao charme desse assassino que segue um restrito código de só matar outros homicidas. Dexter Morgan não tem consciência, não sente culpa ou remorso. Dexter Morgan não sente nada. Um monstro, sim, mas um monstro bem educado e limpo.

As coisas saem da rotina quando surge um novo serial killer em Miami. Dex faz parte da equipe laboratorial da polícia, como analista de dispersão de sangue, e sempre tem acesso a informações restritas sobre os casos, o que o ajuda a encontrar novas vítimas. Mas o estilo das mortes atrai a atenção do nosso psicopata de uma forma diferente, quase como admiração... Não que ele aprove esse tipo de atitude. Matar pessoas inocentes era errado e esse novo assassino devia ser parado. Mesmo que ele pareça estar se comunicando com Dexter. Como se o convidasse para brincar...
Mas Dexter não aceitaria, é claro.

Não é?


Título Original: Darkly dreaming Dexter
Autor: Jeff Lindsay
Editora: Planeta
Nº de páginas: 270



Desafio literário anual hospedado pelo blog My Everything, com o objetivo de promover a interação entre blogs e leitores, além de mostrar os livros a serem adquiridos em 2011. Para participar ou saber mais, clique aqui.
1 Response
  1. Não sei, mas não há muita coisa que me leve a ler essa série em livro. A história é ótima, mas só assistiria à série de TV.

    Beijos, Matheus.
    - Bobagens e Livors


Postar um comentário