Natália


Antes de fazer a review de algum filme aqui, eu sempre pesquiso um pouco na internet, para não falar bobagem (como colocar nomes de atores/diretores errado etc), além de conferir dados de bilheteria e a opinião da crítica.
Qual não foi a minha surpresa quando percebi que muitas pessoas gostaram desse filme! Cheguei a ler comentários que dão o status de "melhor filme do ano/últimos anos" e inclusive um que o chamava de "Poltergeist da nossa geração". Mas, considerando-se que eu achei Poltergeist um nadinha assustador, não foi uma ofensa tão grande, mas ainda assim, equipará-lo a um clássico?!
É incrível como o mau gosto da maioria ainda me surpreende...

Mas, vamos aos fatos.
O filme conta a história da família Lambert, um casal com três filhos, que acaba de se mudar para uma nova casa. Antes mesmo que eles pudessem desempacotar todas as caixas, o filho Dalton entra em um inexplicável coma. Depois de três meses sem nenhuma alteração na saúde do menino, ele é levado para casa com a ajuda de aparelhos e uma enfermeira. Seu irmão, Foster, e a mãe, Renai, começam então a ver e ouvir coisas estranhas e ameaçadoras. Quando o alarme da casa começa a disparar e portas abrem sozinhas em plena madrugada, Josh cede aos pedidos da esposa e a família se muda mais uma vez.

O problema é que as terríveis aparições seguem os Lambert para a nova casa, e o casal resolve pedir ajuda, descobrindo que as assombrações não pertenciam à velha casa: estavam atrás de Dalton.



E é aí que o filme desanda.

No começo estava tudo muito bom, tudo muito lindo. Musiquinha e créditos iniciais retrô, sustos óbvios, mas que realmente assustavam, momentos de suspense e até cenas cômicas, como a do fantasma dançando ao som da vitrola.
Tudo saiu dos eixos quando juntaram criaturas grotescas aos fantasminhas camaradas. Dá uma olhada no bicho feio que aparece:


É, essa coisa vermelha e preta atrás do Patrick Wilson é o grande malvadão do filme. Ele pode até aparecer de surpresa e assustar, mas olha bem pra cara dele e diga se isso é demônio que se apresente!
Ah, por favor! Quer fazer um filme trash? Então faça um filme realmente trash, à la Quentin Tarantino ou Sam Raimi (vide Arrasta-me Para o Inferno),  pra fazer a gente sentir nojo, pelo menos! Porque esse treco aí não me faz nem cócegas.

Mais uma coisa: se for criar personagens engraçados pra tirar o clima de tensão (muito embora não fosse preciso nesse caso, já que os demônios não são tão tensos assim), use-os. Não os encaixe entre uma cena e outra pra arrancar alguns risos e depois descarte-os sem lhes dar um final, como aconteceu com os pobres ajudantes da paranormal Elise, os engravatados das fotos abaixo.





Caso resolva se arriscar e dar uma chance à Sobrenatural, prepare-se para vários sustos, algumas risadas e muito, muito tédio.

1 pipoca
Marcadores: , | edit post
2 Responses
  1. Quando eu assisti o trailer desse filme eu já não me impressionei. Dá pra notar logo de cara que tem filme mais assustador por aí. Mas quando eu vi esse demonio e li seus comentários, euri muuuito. Concordo. Ou faz trash ou faz terror tensíssimo.
    Senão fica só muito, muito bobo.

    Continuo não qurendo assistir. Ou vejo quando sair do cinema...
    beijos
    Julia, Três Lápis


  2. eu nem me abalo pra ir ver filmes de terror, suspense, essa coisas..

    Não gosto! asuhahusuh


Postar um comentário