Natália
CUIDADO!


ATENÇÃO! ESSE POST CONTÉM SPOILERS!
Se ainda não assistiu, NÃO LEIA as frases em branco. Aliás, se ainda não assistiu, tá esperando o que?!

Antes mesmo de sua estreia, já tinha sido renovada até a 2ª temporada. Baseada numa série de HQs de mesmo nome, The Walking Dead é a nova mania mundial, mesmo entre aqueles que não gostam de filmes do gênero pós-apocalíptico-infestado-por-zumbis. A resposta do público foi ótima diante de um episódio piloto de 60 minutos (!), e a audiência se manteve alta nos 3 episódios posteriores.
Está se perguntando o segredo do sucesso?! Meu palpite:
Não só de zumbis é feita a série.
Sim, os episódios são repletos de cenas trash, com direito a uma menina morta nos primeiros segundos do episódio de estreia, muito sangue e cabeças zumbi voando de um lado a outro. Mas esse é só o pano de fundo. O mundo que conhecemos acabou, mas as pessoas continuam tendo seus conflitos (inter)pessoais. Podem até considerar clichê alguns desses conflitos (esposa acha que marido morreu e transa com o melhor amigo dele - alguém aí assistiu Pearl Harbor?!), mas são eles que movimentam a história.
Rick, o xerife líder do grupo
Afinal, só matar zumbis pode enjoar.





0 Responses

Postar um comentário