Natália
Aprendendo a Seduzir - Patricia Cabot: Que mulher não se apaixonaria por Hurst Slater, o charmoso e galante marquês de Winchilsea? Lady Caroline Linford sabia que não poderia ter um noivo melhor. Ela o amava; ele a amava. Pelo menos, era o que achava até pegá-lo com outra mulher.
Em vez de fazer um escândalo e sair chorando, como fariam as mocinhas de seus romances preferidos, Caroline toma outra atitude: procura um professor que lhe ensine tudo o que uma mulher deve fazer para deixar um homem perdidamente apaixonado.
Mas, durante as aulas, a jovem fará uma descoberta muito mais impactante do que a do flagrante. Caroline descobrirá o verdadeiro amor.
(sinopse: contra-capa do livro)


Escrito enquanto Meg Cabot ainda usava o pseudônimo 'Patricia' Cabot, Aprendendo a Seduzir é um dos primeiros romances, e um dos únicos históricos, da carreira da autora. Leve, despretensioso e deliciosamente divertido, o livro me conquistou desde o início. Sim, eu sou suspeita pra falar da (diva!) Meg: fã assumida de todos os seus trabalhos (exceto, ironicamente, o que a tornou famosa - O Diário da Princesa), considero-a um exemplo de profissional e de mulher. Mas, puxa-saquismo à parte, esse livro é mesmo um encanto! Destinado a um público mais ADULTO (mamães de plantão, fiquem atentas: Meg também escreve sobre s e x o!), com personagens cativantes e situações inusitadas, é uma comédia romântica única.
Caroline Linford é inteligente, mas extremamente ingênua quanto às relações homem-mulher, sobre as quais só lê nos romances, como qualquer outra garota de família do século XIX. Ao flagrar seu noivo, Hurst Slater, em um momento 'íntimo' com outra mulher, acredita sinceramente que ele se apaixonou por outra e cancelará o casamento. Surpreende-se, portanto, quando isso não acontece. Ao aconselhar-se com sua mãe, a garota descobre que é natural o adultério masculino e que a única maneira de evitá-lo é fazer com que o marido se apaixone e não sinta vontade de procurar por outras.
Mas como a doce e inocente Caroline faria com que ele esquecesse a amante, uma mulher tão linda? Só havia uma pessoa que poderia ensiná-la: o Don Juan londrino, Braden Granville, conhecido por destruir mais corações que qualquer outro homem da cidade. Para surpresa de ambos, não é apenas a menina quem aprende algumas coisas durante as aulas sobre 'como fazer amor'. O famoso galanteador também descobre algo que jamais sonhara, muito menos com alguém tão recatada quanto ela.
Apesar de parecer uma trama clichê, a história não narra apenas o desenrolar do relacionamento dos protagonistas, existem outras complicações, como o fato de o noivo de Caroline ter um segredo perigoso,  além de ser amante de Jacquelyn Seldon, noiva de Braden (não é spoiler, o caso dos dois é o que leva Caroline a pedir ajuda a Braden).
Além disso, o romance ainda traz uma interessante visão dos preconceitos da época com relação à posição social. Enquanto Hurst e Jacquelyn, mesmo quase sem dinheiro, são nobres, marquês e filha do Duque, respectivamente, devido à linhagem famíliar, Braden é apenas um 'novo rico' (como eles chamavam os nascidos pobres que faziam fortuna) assim como o pai de Caroline também era, embora tivesse sido nomeado conde. Naquele século, não bastava ter dinheiro, era preciso um título.
Narrado em 3ª pessoa e mostrando os pontos de vistas de diversos personagens (inclusive secundários), é uma narrativa gostosa e envolvente que proporciona muitas risadas e suspiros. Um diferencial é que os protagonistas não são descritos, inicialmente, como belíssimos. Não que sejam feios, apenas comuns. Sem as características facilmente associadas à beleza, como olhos e cabelos muito claros ou muito escuros. Os olhos de Caroline, por exemplo, são 'apenas' castanhos. A medida que os sentimentos (bem como o contato físico) entre eles se intensifica, a forma como olham um para outro se modifica.

MAS como nem tudo são flores, vamos à crítica. Maísa Kawata que me desculpe, mas a revisão dela foi um fracasso completo. Palavras e letras faltando por todo o livro! Juro que ainda vou arranjar um emprego como revisora para não deixar este tipo de coisa acontecer.

Título Original: Educating Caroline
Autor: Patricia Cabot
Editora: Planeta do Brasil Ltda.
1 Response
  1. DeFatto! Says:

    Ela Foi Até o Fim também tem umas partes bem picantes ahahha mas eu adorei!
    a Meg é MUITO diva, não tenho nem palavras pra ela ^^
    eu tenho vontade de ler tudo dela e 'Aprendendo a Seduzir' tem me chamado a atenção.
    tô seguindo! beijos
    Mel,
    Defatto! & Três Lápis


Postar um comentário